Billboard Ads




O Vem Pra Rua realiza no próximo domingo (21/10), em mais de 240 cidades, a manifestação “#PTNÃO para o Brasil não virar uma Venezuela”. Até as 10h30 desta terça-feira, mais de 1,5 milhão de pessoas foram convidadas através da rede social. No Paraná, o movimento deve ocorrer em 16 cidades ( Bandeirantes, Campo Mourão, Cascavel, Cornélio Procópio, Curitiba, Guarapuava, Londrina, Matinhos, Maringá, Nova Aurora, Palotina, Planalto, Ponta Grossa, São João do Ivaí, Toledo e Umuarama). As informações são do Bem Paraná.

Segundo as informações da página, a organização do movimento afirma acreditar que o país corre sérios riscos caso o PT volte ao governo. “Nos últimos anos, o Partido dos Trabalhadores causou uma crise sem precedentes na história do Brasil: volta da inflação, saques criminosos bilionários de dinheiro público da Petrobrás e outras empresas públicas, economia desorganizada, altas taxas de desemprego, caos na segurança e saúde públicas, além de escândalos de corrupção envolvendo suas maiores lideranças.”

Ainda segundo os organizadores, o “PT tem dado evidências reais de querer acabar com “Operação Lava Jato” e implementar um plano de governo com concepções semelhantes às do ditador venezuelano Nicolás Maduro.”

Os organizadores do movimento Vem Pra Rua afirmam ainda que junto com “os cidadãos de bem defendem a “Operação Lava Jato”, assim como outras ações que visam combater as quadrilhas de políticos. Vale lembrar, que o movimento que já levou milhões de brasileiros às ruas pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e apoiando as prisões em segunda instância, é uma organização suprapartidária, defensora dos valores da democracia, da ética na política e de um Estado eficiente e desinchado”.

Ainda segundo a página, o movimento afirma estar “alinhado com o Estado Democrático de Direito, não apoiar a intervenção militar e outras medidas extremas e autoritárias, muito menos mentiras.” A organização é “contra a regulação da imprensa proposta pelo PT. O movimento também é contrário à reforma do Judiciário que pode reduzir o papel do Ministério Público, um dos órgãos responsáveis pelas investigações contra a corrupção.”

“A ascensão do PT ao governo do país não é compatível com uma sociedade trabalhadora, honesta e saudável, que clama por justiça e oportunidades iguais para todos”, finalizam.
Por