Recusar Digitar alguma coisa e apertar enter

author photo
Por On

Líder nas pesquisas de intenção de votos, Jair Bolsonaro deverá ter alta nesta sexta-feira a tempo de participar do debate com os presidenciáveis da TV Globo, marcado para o próximo dia 4 de outubro. Dezoito dias depois de ter levado uma facada no abdômen, com graves consequências para seu intestino e para sua mobilidade na campanha eleitoral, Bolsonaro já está ingerindo alimentos sólidos, depois de longo período se alimentando apenas com soro pelas veias. Nos últimos dias ainda recebeu alimentos pastosos pela veia, mas agora já ingere alimentos com papinhas. Não sente mais dores, febre e nem tem risco de infecções. Por isso, tem aumentado a frequência de recebimentos de visitas. Até o economista Paulo Guedes ele já recebeu. 

Nos próximos dias, deverá gravar no quarto do Hospital Albert Einstein, onde montou seu comitê de campanha, uma carta aos brasileiros, quando negará perseguir gays e mulheres e de ter viés autoritário. Ele tentará, com isso, reduzir um pouco a rejeição de 43% que ainda é detentor. Ele vai procurar, com isso, a última carta de se eleger ainda no primeiro turno. Afinal, está perto dos 30% das intenções de votos e acredita que se conseguir reduzir um pouco a rejeição poderá vencer no primeiro turno. Neste momento, isso é improvável. Se ele tiver alta mesmo no domingo que vem ou na segunda-feira, não deverá mais ir para as ruas ainda no primeiro turno. Se for para as ruas, o fará só no segundo turno. De qualquer forma, ele ainda não decidiu se irá ao debate na TV Globo no dia 4 e nem mesmo se irá a outros debates no segundo turno. É provável continue a se manifestar apenas pelas redes sociais, onde é sucesso de audiência.