Safadão ganha mais de R$ 6 milhões por mês, mas quer reduzir a pensão do filho e pode ser preso !

domingo, 17 de junho de 2018


A Revista QUEM mostrou nesta semana um lado pouco conhecido do cantor Wesley Safadão, que se apresenta como bom moço, coração bondoso e pai que se preocupa para nada faltar aos filhos. Safadão, que ganha até mais de R$ 6 milhões mensais entre shows, comerciais e bandas que atua como empresário, vendas da marca WS, eventos milionários, terá que explicar na Vara da Família em Fortaleza por qual razão quer reduzir a pensão dada ao filho Yhudy, sete anos, ao contrário de reajustar.



Aqui do lado de fora muitos pensam que a ex-mulher de safadão, a maranhense de Imperatriz e influenciadora digital Mileide Mihaile, de 29 anos, embolsa uma gorda pensão para sustentar o filho. Qual nada! Desde que Safadão virou amante da amiga do casal, Thyane Dantas, 25 anos, as coisas mudaram dentro de casa. E piorou mais ainda quando ele se separou para morar com a namorada.




Amigavelmente foi feito um acerto de que ele daria R$ 9 mil mensais e pagaria escola, R$ 2.600,00 e mais a gasolina, R$ 1 mil para que a mãe possa levar o menino à escola todos os dias. Isto foi quando ele ainda não estava estourado.

Agora que Safadão ganha os tubos, o mais rico entre os cantores da atualidade, e poderia conceder pensão de até R$ 90 mil para o filho sem levar nenhum prejuízo, ele simplesmente reduziu a pensão, descontando dos R$ 9 mil o que paga para a escola e a gasolina. Que absurdo!




A ex-mulher disse para a Revista QUEM que se sente humilhada e, por isso, ingressou Justiça para evitar os descontos ou, quem sabe, reajuste da pensão.

Em dezembro de 2016, Safadão andou tentando limpar a imagem quando foi revelado o cachê de seus músicos. Enquanto ele faturava milhões, músicos ganhavam entre R$ 2 mil a R$ mil mensais. E foi ainda acusado pelo tio de se apoderar da banda Garota Safada e a briga se arrasta até hoje na Justiça, no Ceará.





Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial


ÚLTIMAS BOMBAS



     
    Copyright © 2015. Jornal Brasil 316 .
    .