Recusar Digitar alguma coisa e apertar enter

author photo
Por On

A distribuição de cenouras às vésperas da Páscoa para alunos da rede municipal de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, chamou a atenção da população. No lugar de ovos de chocolate, estudantes receberam uma embalagem com o legume e uma receita de bolo. Pais lamentaram a iniciativa das escolas municipais, que ocorreu para evitar o desperdício do alimento comprado em excesso.



O Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação em Duque de Caxias afirmou que houve uma compra em excesso de cenouras, normalmente usadas na alimentação dos alunos. E que, então, teria se decidido pela distribuição como “brinde” de Páscoa. Para Marcos Lord, diretor do sindicato, essa seria apenas uma forma de mascarar um problema mais sério.



“Como a prefeitura não tem gestão para fazer acompanhamento correto da compra? Essa compra em excesso já mostra um problema de gestão. O município ainda não concluiu a folha de pagamento de fevereiro, pagou apenas 30% dos aposentados, não tem uma previsão para o pagamento do 13º salário e tem cooperativados com salários em atraso. Estamos perto da Páscoa e a folha de pagamento de fevereiro ainda não foi concluída e não há data definida para o recebimento”, disse Lord.



Em nota, a Secretaria Municipal de Educação de Duque de Caxias explicou houve um equívoco no pedido feito pela nutricionista responsável à agricultura familiar. Ela já foi afastada do cargo.


A pasta reforçou que não houve prejuízo financeiro. Para evitar o desperdício do alimento, a secretaria, em conjunto com o Conselho de Alimentação Municipal, decidiu optar pela distribuição das cenouras às crianças. A secretaria lamentou o ocorrido, mas disse que todos os alimentos estavam aptos para o consumo.


A Prefeitura de Duque de Caxias disse que tanto a compra em quantidade desnecessária, quanto a decisão pela distribuição de cenouras aos estudantes da rede municipal de ensino, na última semana, aconteceram sem o conhecimento do prefeito Washington Reis e foram decididas de maneira aleatória pelos gestores da Secretaria Municipal de Educação.


“Uma sindicância administrativa já está em andamento para verificar as condições em que a compra indevida aconteceu e apurar as responsabilidades. Sendo constatadas irregularidades, todos os responsáveis serão demitidos e terão que ressarcir os cofres públicos sobre os valores gastos na aquisição do gênero em excesso”, ressaltou a nota.


A prefeitura lamenta e pede desculpas ao povo de Duque de Caxias – em especial aos 80 mil estudantes e suas famílias.